A nave estremeceu e os alarmes começaram a soar no interior do cockpit. Os indicadores passaram para alerta vermelho. Estava a aproximar-me demasiado depressa da órbita do planeta. A minha respiração acelerou e senti uma pressão no peito, como se este ameaçasse explodir. Tinha de me acalmar. Se não abrandasse rapidamente, desintegrar-me-ia na entrada da atmosfera.

Accionei os comandos para iniciar as manobras de aterragem, mas estes recusaram-se a responder. Voltei a tentar e uma luz vermelha acendeu-se no painel de controlo. Merda! O sistema de aterragem estava danificado.

Tentei manter a calma. Puxei os joysticks para mim numa tentativa de travar a aceleração da nave. Pressionei um dos botões do visor e activei o sistema de aterragem de emergência. A mensagem que surgiu no ecrã deixou-me aterrado: DANIFICADO.

Com uma morte certa caso mantivesse a velocidade e o rumo actual, parecia que estava destinado a pilotar manualmente meia nave pela atmosfera daquele planeta azul, sem fazer a mínima ideia do que encontraria na superfície.

Desliguei os sistemas de ajuda do computador de bordo. Já não conseguia ouvir os alarmes tocar. Agarrei com força os dois joysticks e preparei-me para a entrada na atmosfera.

Toda a estrutura da nave abanou. Ouvi o metal contorcesse e cerrei os dentes. Mantive a nave o mais estável que consegui. Junto ao vidro do cockpit, a superfície da nave tornou-se incandescente. Tinha de reduzir mais a velocidade.

Puxei pelos controlos e mudei o ângulo de entrada. Talvez com uma superfície maior e com ajuda do atrito conseguisse abrandar um pouco.

A nave entrou por completo na atmosfera e o céu tornou-se azul claro. Abaixo de mim, aproximava-se um denso mar de nuvens brancas. Numa questão de segundos fui envolvido por ele. Não conseguia ver nada.

Completamente cego pelo manto branco, vi-me obrigado a ligar de novo a assistência do computador de bordo. Os alarmes desataram de imediato a tocar. Surgiu uma mensagem no ecrã: IMPACTO IMINIENTE.

Raios! Tinha-me aproximado demasiado do solo!

Puxei repentinamente os controlos da nave tentando ganhar altitude, mas não fui rápido o suficiente. Senti o impacto da nave e a minha cabeça foi disparada contra o painel de controlo. Tudo em meu redor ficou negro e perdi a consciência.

O Fugitivo - 1

Anúncios