A criatura media mais de 2 metros de altura. Os olhos vermelho fogo contrastavam com o pelo negro e comprido. Avançou lentamente pela igreja. Rosnava enquanto mostrava as afiadas presas brancas. Os fiéis assustados afastavam-se, abrindo o caminho para a besta.

John levantou-se e desembainhou a espada. Avançou rapidamente pela lateral, evitando os fiéis que lhe barravam o caminho.

O clima estava tenso, a criatura avançava por entre os humanos, cheirando-os, estudando-os. Uma reacção brusca de alguém e seria o caos.

De espada em punho, John conseguiu contornar os fiéis e colocar-se atrás da fera. Esta continuava a avançar, mas as suas passadas não tinham som. John preparou-se para atacar.

A criatura aproximou o focinho de uma mulher, cheirando-a. O choramingar da senhora apenas contribuiu para aumentar o rosnar, fazendo a besta mostrar os caninos afiados. Seguiu-se um grito.

A fera saltou sobre os fiéis, derrubando-os. Um dos homens colocou-se entre a criatura e a mulher. O enorme cão negro fechou as mandíbulas em torno do antebraço do homem, arrancando-o como se um farrapo se tratasse. O sangue jorrou do membro mutilado, pintando o chão da igreja de vermelho.

John correu para a criatura e apontou para o pescoço, porém a fera foi mais rápida. Deu um salto e esquivou-se à lâmina da espada, ficando apenas com um corte superficial no dorso.

A besta virou-se para o atacante e soltou um rugido ameaçador.

John avançou com a espada em posição de ataque. A criatura recuou e ganhou balanço, saltando sobre o humano. O embate fez John cair ao chão e largar a espada. Aquele cão demoníaco devia pesar uns noventa quilos.

Antes de conseguir voltar a pôr-se em pé, o enorme cão negro correu em direcção à porta da igreja. Estava em fuga.

Coberto de lama, Peter, o miúdo que ajudara com Onyx, avançou pela igreja, atraído pelo reboliço que se ouvia vindo do interior. O rosto do rapaz empalideceu ao ver a criatura correr na sua direcção. Paralisado pelo medo, não fugiu.

A besta abriu as mandíbulas e abocanhou o pescoço de Peter. Abanou o corpo do menino violentamente, atirando-o de seguida pelo ar. Correu em direcção às portas da igreja, forçando a sua saída com um estrondo.

John levantou-se, pegou na espada e correu atrás da criatura, porém esta já se tinha esquivado. Olhou de seguida em redor. Junto ao altar jazia o corpo do homem a quem fora arrancado um braço e, perto da pia baptismal, estava caído o corpo de Peter, com o pescoço ensanguentado a formar um ângulo estranho.

O padre aproximou-se apressadamente.

– Por favor, irmão, por tudo o que é mais sagrado, livre-nos daquele demónio.

John assentiu com a cabeça.

– Onde está o meu cavalo?

– Nas traseiras.

Sem dar tempo para mais uma palavra, John correu para Onyx. Ao passar pelas portas da igreja, reparou que as garras da criatura tinham ficado lá marcadas.

2

Anúncios