Kurn Hin’or observava a paisagem, enquanto o transportador atravessava o Mar de Cristal com as suas lagartas de metal. Era sem dúvida um cenário único. Por uma extensão que ultrapassava os quatrocentos e cinquenta quilómetros quadrados, toda a água do mar fora transformada em cristal azul. Com várias estruturas a erguerem-se em direcção ao céu, aquele cenário bizarro pareceria vir de outro mundo.

A luz do Sol a bater nos cristais fazia com que estes emitissem um brilho azul, obrigando Kurn a usar óculos de protecção. O que não faltava eram histórias de aventureiros imprudentes que ficaram cegos após a travessia do Mar de Cristal.

– Ainda falta muito? – questionou Kurn.

– Estamos quase lá, senhor – respondeu o robot que conduzia o transportador.

Kurn não sabia ao certo qual o objectivo da sua missão naquela terra estéril. O supremo sacerdote apenas referira a existência de um “tesouro” escondido nas profundezas do Mar de Cristal. A sua missão era encontrá-lo e informar a Igreja sobre a sua localização. Nada de muito complexo, não fosse a natureza do dito “tesouro” continuar a iludi-lo, uma vez que não fazia a mínima ideia do que procurar.

Durante as últimas semanas, o mercenário e o seu ajudante mecânico tinham percorrido aquelas formações cristalinas quase de uma ponta à outra, mas até ao momento não tinham tido qualquer espécie de resultados.

Puxando a alavanca ao lado do assento de piloto, o robot parou o transportador e as suas lagartas cravaram-se no piso azulado.

– Chegámos ao destino, senhor.

– Óptimo! GV-53, inicia o programa de reconhecimento da área.

– Sim, senhor.

Kurn saltou do transportador para a superfície cristalizada. O chão rachou sob o peso do corpulento homem. Estavam praticamente no centro do Mar de Cristal, onde a profundidade era maior.

Ninguém sabia ao certo como é que toda água se transformara da noite para o dia dando lugar àquelas bizarras estruturas, mas os cientistas conjecturavam sobre a queda de um meteoro e sobre uma possível reacção química com um elemento desconhecido. O Mar de Cristal existia há milénios, muito antes de existir tecnologia ou ciência moderna, mas algumas lendas contavam a história de um grupo de pescadores que vira uma bola de fogo azul cair do céu nocturno para as águas do mar. Na manhã seguinte, toda a água se tinha transformado em cristal azul. Desde então que o lugar fora tomado como amaldiçoado e poucos eram os que se aventuravam no local.

Kurn observava uma das colossais estruturas quando o computador de bordo do transportador começou a emitir avisos sonoros.

– Senhor, é melhor vir ver isto – declarou GV-53.

– O que se passa?

– Os sensores do computador encontraram algo. É enorme…

1

Anúncios